this love

I was so high I did not recognize
The fire burning in her eyes
The chaos that controlled my mind
Whispered goodbye and she got on a plane
(não sei se eu ou você sabíamos o que aquela despedida no aeroporto significava naquele momento. eu só me arrependo de não ter te beijado)

Never to return again
(eu sabia que eu voltaria. eu não sabia como eu me sentiria quando eu voltasse. eu não fazia ideia que tu seria o motivo de eu mais querer voltar)
But always in my heart
(e no pensamento)

This love has taken its toll on me
She said Goodbye too many times before
(eu disse, muitas vezes)

And her heart is breaking in front of me
(e agora meu coração está em pedaços bem em frente de ti e nas tuas mãos, mas nenhuma das duas vai fazer algo)
I have no choice cause I won’t say goodbye anymore
(eu não sei se tu realmente não tem mais escolha ou se eu fiz tu tomar essa decisão, mas parece que tu não vai mesmo mais me dizer adeus)

I tried my best to feed her appetite
Keep her coming every night
So hard to keep her satisfied
Kept playing love like it was just a game
Pretending to feel the same
(eu sentia o mesmo)

Then turn around and leave again

This love has taken its toll on me
She said Goodbye too many times before
And her heart is breaking in front of me
I have no choice cause I won’t say goodbye anymore

I’ll fix these broken things
Repair your broken wings
(eu sei que tu tentou muitas vezes me ajudar, mas eu nunca ajudei muito)
And make sure everything’s alright
My pressure on your hips
Sinking my fingertips
Into every inch of you
Cause I know that’s what you want me to do

This love has taken its toll on me
She said Goodbye too many times before
And her heart is breaking in front of me
I have no choice cause I won’t say goodbye anymore

This love has taken its toll on me
She said Goodbye too many times before
And my heart is breaking in front of me
She said Goodbye too many times before

This love has taken its toll on me
She said Goodbye too many times before
And her heart is breaking in front of me
I have no choice cause I won’t say goodbye anymore…

this love

isso não era o que eu esperava

eu poderia dizer que não vi isso chegando. mas eu vi sim, todas as vezes que pensei. desde o dia que eu te vi e achei que tinha consertado tudo que havia de errado entre nós, eu pensei “agora sim, eu posso seguir em frente.”. mas foi aí que tive o choque de realidade ao pensar “o que me espera lá na frente?”. e eu me deixei levar pelo sonho que eu vivi durante aquelas 12 horas. eu fui feliz durante aquele curto período de tempo, eu poderia ser feliz de novo, então.

as brigas começaram dentro de mim mesma. eu não posso simplesmente acreditar que as coisas mudem assim, não é? eu já tentei demais, eu já fui a lugares horríveis demais. mas por que as coisas não poderiam ser diferentes agora? nós somos pessoas diferentes, será dessa vez não daria certo? era uma briga constante, uma ideia permanente na minha cabeça que não parecia sair. e eu não me ajudava.

enquanto a confusão reinava sobre mim, eu fazia questão de manter você por perto. e isso deixava tudo na minha cabeça mais bagunçado, pois quanto mais eu via que sua presença me deixava feliz, mais eu reconhecia que essa dependência estava me levando de volta para o mesmo buraco que eu penei bastante tempo para sair. mas será mesmo que eu tinha saído?

então foi aí que eu decidi (depois de uma ajuda sua) que eu precisava daquela distância de novo. de novo, eu fiquei sozinha. eu me sentia completamente sozinha, mas eu não estava. é estranho como na grande maioria das vezes que você se sente sozinha, existem pessoas ao seu redor dispostas a lhe ajudar. de alguma forma, eu busquei ajuda e consegui me ajudar.

eu pensei em todas as possibilidades de voltar. nenhuma me deixava satisfeita. eu me sentia feliz, triste, desesperada, traída, trouxa, idiota e amada. e você? você se dizia confusa e fazia questão de me ver quando eu voltasse. eu acordava e me sentia livre, mas ia dormir pensando em você; eu acordava no outro dia com a certeza que não queria encontrar com você porque eu sabia que ia me fazer mal, mas logo depois pensava que estava com saudade.

em algum momento eu tive a certeza que não tinha volta. e a pior parte disso foi perceber que durante todos aqueles últimos dias pensar em você era o que fazia eu querer voltar pra cá. enquanto eu dizia que não queria te ver, era em você que eu pensava quando imaginava eu  voltando. eu ver você. eu não tinha aceitado até hoje, ao perceber minha decepção com a minha volta, que eu queria voltar por você.

mas de que adianta, certo? como você mesma disse naquela madrugada do dia 12 de janeiro quando eu te beijei: “isso não muda nada, certo?”. certo. às vezes penso se você sabe como essas palavras permanecem em mim.

eu não teria coragem de falar pra você tudo isso. eu ainda não tenho. por que? porque como tudo que envolve nós duas atualmente, eu não acho justo.

eu não sou uma, não sou duas, não sou três. eu sou várias e não é justo que você tenha que sofrer pelas indecisões de cada uma delas. por mais que eu sinta essa dor, por mais que eu sinta sua falta, eu estou sendo sincera que espero toda a felicidade do mundo pra você. e como não sou eu que posso proporcionar isso, que seja com ela. e eu quero acreditar nas coisas que tu disse, mas eu já cresci um pouquinho pra saber que tudo passa. esse lugarzinho que um dia foi meu vai ser de outra pessoa. mas tá ok. ou vai ficar ok. as coisas são assim.

isso não quer dizer que nossos sentimentos não existiram, nem que nós deixamos de ser importantes uma para outra. isso quer dizer que o tempo passou. e que eu não tive coragem de me arriscar mais uma vez em ir atrás ti (ou no caso, seria a primeira vez?) com medo que o bem que você me faz fosse ultrapassado pelo mal que nós causamos uma a outra.

desculpa. eu fui inconsequente tantas vezes, mas agora eu só tenho medo. a pior parte é que eu acho que se você tivesse tentado, eu teria pulado. mas como eu disse antes, não é justo.

isso não era o que eu esperava