cansada

Eu lembro bem demais como foi ruim aquilo ano passado. E agora tá acontecendo tudo de novo só que agora eu sei que é pior. É bem pior. Tu não volta no próximo mês. Tu não volta nunca mais. Dizem que eu sou exagerada e dramática, mas tu não volta. “Ah, mas nós podemos voltar a ser amigas”. Como se fosse a mesma coisa. Como se nós fossemos algum dia voltar a ser as mesmas pessoas. Tudo passa, tudo muda, nada parece importar. Aceitar que tudo que construí nos últimos anos foi pra nada, parece que só não saí do lugar. E aí se mexer pra destruir o que tive que parar no meio do caminho. E se mexer dói.

Anúncios
cansada

Bolívia

eu chorei no carro escutando italiano quando olhei pra cima e pareceu que o mundo inteiro estava me esmagando. quando fechei os olhos, as lágrimas estavam frias.

Bolívia

passei muito tempo achando que o único problema era a distância, mas agora vejo que são vários os problemas, principalmente que tu não consegue parar de me machucar de propósito.

maybe I’ll never tell you (or maybe I’ll will because I’ll tell you everything), but when I’m at home 04:40 in the morning the only thing that goes in my mind is you.

you.

08.01

Hoje foi um dia bem difícil. Meus olhos tão doendo, mas eu não consigo dormir. Fiz tudo que coloquei como meta de fazer: voltar pro Muay Thai, assistir duas aulas e ler um capítulo do livro de mitologia. E ainda assim eu não consigo acalmar minha cabeça. Parece que não tem o botão de desligar. Quando desligo tudo e fecho os olhos, eu não consigo parar de prestar atenção na minha respiração. E é ruim, é muito ruim e é cansativo. E eu não consigo pensar que vai passar, que vai ficar tudo bem, que vai passar. Eu tô cansada. Eu queria que passasse. Eu não acredito que vai passar.

Desculpa pelo tom sombrio de hoje, eu só queria que tu soubesse como eu tô me sentindo hoje.

08.01

03.01 – sete meses e oito anos

hoje a gente mal se falou. meu dia foi bom, talvez o melhor do ano (hehe), mas não sei como foi o teu e tenho a impressão que não foi exatamente um dos melhores. pensei em começar contando do meu dia, mas, nessa data de hoje, achei melhor falar sobre a gente. o problema é que às vezes falo tanto da gente que tenho medo de me tornar repetitiva.

hoje tive muitas reflexões sobre a vida a dois e família. primeiro, logo que acordei, fui ver ‘this is us’, onde tem um dos meus casais fictícios favoritos. eles não tem nada demais, eles são aqueles casais super comuns adultos que moram no subúrbio, trabalham e cuidam das filhas. mas a comunicação dos dois é tão linda. ele sabe lidar com ela e ela sabe lidar com ele e até brigando eles sempre se entendem muito bem. se eu tiver que dizer uma coisa que eu acho que seja de grande importância num relacionamento, pra mim, é uma boa comunicação.

depois, quando eu fui pro riomar, eu fiquei observando as pessoas, mas principalmente as famílias. é até bizarro, mais do que os casais, percebi o tanto de mães com seus filhos e achei tão bonito ver a interação de um ser humano cuidando e moldando uma pessoa. acho que teve a ver com o tema do filme que tinha acabado de ver, espero que tu não esteja me achando estranha.

o que eu quis dizer depois de dividir meus devaneios é que eu pensei em ti. é que eu consigo pensar em ti como alguém que eu posso dividir o futuro como amiga e companheira. não vou mentir, às vezes tenho medo ou algo parecido ao pensar que a gente “só” tem 25 anos. mas sinceramente, acho que isso a gente releva. jajá a gente tem 26.

apesar dos 7 meses e 8 anos, fico triste que a gente ainda esteja nessa pausa, contigo longe. mas ei, cada dia a mais é um a menos, certo?

eu te amo e espero que hoje seja um bom dia.

só não me faça esperar pra sempre.

03.01 – sete meses e oito anos